Maria na cozinha: princípios básicos

img_4844Um dos métodos mais apreciados para usufruir dos benefícios da marijuana, para os que não tem por hábito fumar e para quem a utiliza com fins medicinais, é adicionando a maria a alimentação, não alterando em nada seus hábitos e rotinas quotidianas alimentares.

Os métodos variam em função das necessidades e fins para os quais a utilizamos. Os métodos mais simples de extração são a manteiga e o óleo ou azeite de marijuana que irão substituir as gorduras respetivas nas suas receitas. Porque não confecionar uns cookies e substituir a pastilha para dormir por um reforço tardio antes de se deitar acompanhado de um chocolate quente?

Para conseguir ativar os efeitos psicoativos das flores precisámos aquecer a medicina de alguma forma, não conseguiremos um ótimo resultado com a simples extração. Como os cannabinoides são lipossolúveis e não hidrossolúveis, é necessário utilizar gordura como base de extração pois ao atingir temperatura vai libertar os canabinoides e retê-los na gordura.

Existem vários métodos de extração, dos mais simples aos mais sofisticados, com caráter caseiro ou industrial, e como de  criativos está este mundo cheio imaginem o que se vai inventando por ai…

Como gosta a malta do grow de revolucionar, de evoluir. Os métodos mais simples acabam por resultar sempre em alguma espécie de infusão utilizando gordura, mais propriamente manteiga e óleo.

Métodos de extração mais comuns

  • Manteiga – esta é a maneira mais conhecida e versátil das receitas podendo preparar umas bolachinhas ou simplesmente, barrar manteiga numa tosta
  • Azeite – também aprecio bastante esta receita, pois a base é o nosso estimado azeite. Ótimo para temperar saladas ou preparar um refogado
  • Óleo de coco – é um método extremamente eficaz para extrair THC visto ser um óleo bastante gordo capaz de reter mais canabinoides que a manteiga ou o azeite.

Descarboxilação

A descarboxilação é um termo demasiado complicado para um processo tão simples. Para descarboxilar a medicina só precisa aquecê-la.

Os canabinóides são químicos da planta que se fundem com os recetores canabinoides nas células do nosso organismo. Quando colhemos o fruto, o THC encontra-se na sua forma ácida (THCA). Assim sendo, como o THCA não é psicoativo, para o ativar damos-lhe calor, que é exatamente o que se passa quando acendemos o blunt…. Ao acender o isqueiro somos uma espécie de químico amador, originando uma reação química ao transformar um componente em outro.

O processo de descarboxilação é então um processo bastante simples:

  • Pré aquecer o forno a 115º C
  • Desfaça as flores com as mãos em pedaços mais pequenos
  • Disponha a medicina em um tabuleiro que possa ir ao forno, importante as dimensões do tabuleiro apropriadas a quantidade para não haver espaços vazios no fundo
  • Insira o tabuleiro e sem abrir deixe cozinhar entre 30 a 40 min, sem perder de vista não vá a medicina queimar
  • Quando as flores apresentarem um castanho claro a médio e verificar que secaram deixe arrefecer.
  • Pegue no grinder e triture

Como calcular a dose de THC?

Esta será a maior dificuldade na hora de preparar uma receita, o propósito não será comer e ficar colado durante oito horas como já vi acontecer…

Vou lhes apresentar então a minha forma de calcular o THC para determinar a potência dos seus comestíveis. Para que nos sirva de base uma boa dose individual de THC seriam 10mg, o que já dará uma viagem bastante simpática, o que é equivalente a uma colher de chá de manteiga ou óleo. O mais difícil será calcular a potência da flor. Poderia a enviar para análise o que nosso país, para já, ainda é impossível. Vamos presumir que a sua medicina é proveniente de Auto cultivo e apresenta um índice médio de 10% de THC. Baseados nesses valores podemos então assumir que 1mg de marijuana contém 100mg de THC. Para conseguir calcular o valor de THC, pesam-se em mg as flores e dividem por 100mg. Por exemplo, 10 gr de flores que correspondem a 10000mg dividindo pela dose individual simpática de 100mg ou aplicando uma regra de 3 simples, sabemos então que 10gr de flores contém 100mg de THC. Se a dose individual ótima são 10mg então conseguiremos 10 dozes individuais (10 cookies).

Quais são os efeitos?

A experiência é totalmente diferente do tradicional charro. Para quem utiliza pela primeira vez, a experiência será mais intensa e mais duradoira. Os efeitos surgirão entre 30 min a 2 horas após a ingestão, dependendo muito do individuo e seu organismo, seu grau de tolerância, etc…


Se nada acontecer durante algum tempo, não se precipite em comer mais,

nem fique a espera de ver Deus, ou o diabo!


Recomendam, os entendidos, começar com uma pequena dose e numa próxima experiência aumentar a medicação. Quando começar a “bater” vai se sentir extremamente relaxado e provavelmente sacará de bússola do alforge tomando rumo de terras de sofá. Os pensamentos e reflexões serão intensos e terá 1000 por minuto, provavelmente se fechar os olhinhos terá visões profundas. Se for como eu, terá uns ataques de riso do outro mundo…

A chave é relaxar, apurar os sentidos, ou como se diz “go weed the flow”. Não resista, nem lute contra.

O que fazer quando exagerou?

Se exagerou na dose, porque não teve paciência ou por erro de cálculo pode ter uma experiência demasiado intensa e ficar colado em demasia. Poderá se sentir enjoado, confuso, sem vontade de se mexer. não desespere, é o THC a bater forte. Comigo funciona o sofá, delicio-me ao adormecer lentamente e  aterrar em sono profundo.

Mas deixo-lhes algumas dicas:

  • Beba sumo de frutas ou coma frutas ácidas (laranja, limão, toranja)
  • Coma pistachos ou nozes
  • Utilize óleos essenciais de pinho quer seja na pele ou inalado
  • Use um produto rico em CBD

Biologicamente, abra sua mente!

Post Author: Staff Tendências

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *